Voltar

O que procura?

Pode pesquisar por uma palavra ou pela referência do produto

 

Guia para pintar fachadas

Pintar as fachadas, não só deixa uma casa ou prédio com uma aparência mais bonita, como também ajuda na conservação dos edifícios. Uma pintura em bom estado é essencial para uma proteção eficaz, o que também vai evitar danos maiores nos edifícios que implicariam custos maiores. Por isso, se as fachadas da sua casa ou prédio começam a apresentar algum tipo de degradação está na altura de pintá-las.

Veja como fazê-lo!

 

PASSO 1: ESCOLHA A COR ADEQUADA À FACHADA

Quando se trata de escolher a cor para pintar as paredes exteriores da sua casa existem tantas opções que a decisão pode tornar-se complicada.

No entanto, deve ter em conta que algumas cores poderão não apresentar uma boa resistência aos efeitos dos raios UV, tal como acontece com as cores mais vibrantes, que tendem a desaparecer mais rápido do que as cores mais suaves.

Opte por tons terrosos, acobreados, alaranjados e amarelos, que são altamente adequados para pintar fachadas já que normalmente apresentam boa resistência aos raios UV, permanecendo inalterados por muito mais tempo. O mesmo não acontece com alguns vermelhos, por exemplo, que são particularmente desaconselhados.

Se procura um ambiente tranquilo e suave pode também optar por tons claros de azuis, verdes e roxos. Os cinzas podem também ser utilizados quando pretende um ambiente moderno e com classe.

Moradia com paredes em cinza.jpg

Tenha também em consideração a orientação da casa. Quando as faces do edifício estão viradas para Sul as cores vão parecer mais quentes, quando estão viradas para Norte terão mais tendência a acumular humidades.

É aconselhável que utilize cores selecionadas num catálogo de cores de exteriores ou fachadas. E se tiver uma cor em mente, antes de comprar a tinta informe-se se é adequada para pintar em paredes exteriores.

Dica:

  • Para manter uma combinação equilibrada de cores, opte pode utilizar a regra "60-30-10", onde deve preencher 60% do espaço (ex.: fachada) com uma cor, com uma outra cor deve ocupar por exemplo, rodapés e molduras (30%) e com o peso de 10% de outra cor devem estar detalhes, como portas e janelas.

 

PASSO 2: ESCOLHA A TINTA CORRETA

Ao escolher uma tinta para o ambiente, para além da cor, deve também pensar na durabilidade da mesma já que irá estar exposta ao vento, sol e chuva diariamente, e com o tempo, a cobertura da pintura pode ficar comprometida.

Por isso, usar uma tinta de qualidade é fundamental. Uma boa tinta deve deixar que a humidade do interior passe para o exterior, e nunca deve deixar que a humidade do exterior passe para o interior.

Os tipos de tinta mais indicados para pintar fachadas são:

  • Tinta acrílica: tipo de tinta de melhor qualidade, e por isso, mais utilizada na pintura de paredes exteriores, devido à sua resistência aos raios UV. Pode durar até 15 anos e permite manter as cores estáveis ao longo do tempo. Uma outra vantagem é o facto de secar mais rapidamente.

  • Tinta elástica: tipo de tinta indicada para a pintura de paredes exteriores com tendência para movimentos e dilatações. Pode cobrir pequenas fissuras, evitando a penetração de humidade. Pode durar até 10 anos.

Relativamente ao acabamento, pode escolher três: mate, acetinado e brilhante. O acabamento mais indicado é o acetinado, já que a parede fica com um aspeto bonito e fácil de limpar. As tintas de acabamento brilhante podem tornar-se mais cansativas, e podem ofuscar com a luz do sol, enquanto que a tinta com acabamento mate evidencia mais a sujidade.

 

PASSO 3: CALCULE A QUANTIDADE DE TINTA NECESSÁRIA

Calculadora de Tinta para Fachadas.jpg

Não vai querer ficar sem tinta a meio da pintura, por isso faça uma estimativa da tinta que irá precisar para pintar as paredes. Não se esqueça de ter em conta se vai dar uma ou mais demãos.

As demãos necessárias para cada trabalho vão depender do tipo e da marca de tinta, assim como dependerão também da própria superfície.

Como calcular a quantidade de tinta que vai precisar:

  1. Meça a superfície que vai pintar, multiplicando a altura pelo comprimento (altura x comprimento = m2), para obter os metros quadrados de cada parede.
    Por exemplo: 2,5m (altura) x 4m (comprimento) = 10m2 de superfície
  2. Depois de somar todas as áreas parciais de todas as paredes, divida a área pelo rendimento da tinta (na ficha técnica do produto) e multiplique pela quantidade de demãos.
    Por exemplo: 40m2 (superfície a pintar) / 10m2 (rendimento por litro) x 2 (quantidade de demãos) = 8 litros de tinta

Dica:

  • Recomenda-se não descontar a área das portas e janelas. É melhor que sobre alguma tinta para o caso do rendimento ser inferior ao indicado na embalagem, já que este depende da rugosidade da superfície. Para além disso, deve considerar-se que há uma maior absorção da tinta na primeira demão em relação às restantes.

 

PASSO 4: TENHA À MÃO TODOS OS MATERIAIS NECESSÁRIOS

Antes de começar o trabalho, deve fazer uma lista com todos os materiais que irá precisar para que não lhe falte nada, e deixá-los à mão.

Normalmente para uma pintura irá precisar dos seguintes materiais, para além da(s) tinta(s):

Lista de Materiais

 

PASSO 5: PREPARE TUDO ANTES DA PINTURA

Em primeiro lugar, deve remover todos os itens das paredes exteriores que puder, como pregos ou parafusos, e que se encontrem perto das paredes, como mobiliário e vasos de plantas.

Agora, com um plástico protetor e fita, proteja as plantas que se encontrem perto de forma a protegê-las de eventuais salpicos de tinta, assim como as portas, janelas e outras áreas que não queira pintar.

Prepare a superfície antes de pintar:

  1. Lave as paredes, de forma a remover poeiras e a sujidade. Utilize uma máquina de alta pressão ou uma escova de arame para remover a tinta anterior, caso esta se encontre desagregada. Deixe secar completamente a parede durante uma ou duas semanas.

  2. Se a superfície apresentar fungos e algas, deve aplicar uma demão de solução desinfetante e deixar secar consoante indicado na ficha técnica do produto.

  3. Inspecione as paredes exteriores e repare, com massa, os danos que a superfície possa ter, como fissuras ou buracos. Deixe secar a massa de acordo com a sua ficha técnica.

  4. Se, ao lavar a superfície com clima seco e à sombra, a água for rapidamente absorvida, deve aplicar um acabamento mais impermeável.

  5. Aplique uma demão de primário, fixador ou selante próprio para paredes exteriores e deixe secar segundo o indicando na ficha técnica do produto.

 

PASSO 6: QUE COMECEM AS PINTURAS!

Agora que a parede já se encontra preparada, pode iniciar a pintura das paredes, seguindo os próximos passos:

  1. Comece por abrir a lata de tinta. Despeje alguma tinta no tabuleiro de pintura e dilua consoante as instruções do produto presentes nas ficha técnica. Misture bem.

  2. Comece a pintar com um pincel todos os locais onde é difícil ter acesso com um rolo, como junto às portas e às janelas e nas extremidades da parede. Deve mergulhar um terço do pincel e retirar os excessos antes de pintar.

  3. Agora pinte áreas maiores com um rolo. Passe várias vezes pelo tabuleiro de pintura para retirar o excesso de tinta.

  4. As paredes devem ser pintadas verticalmente de cima para baixo, limpando os salpicos. O movimento do rolo deve ser como se estivesse a desenhar a letra W, primeiro num sentido, depois no sentido oposto (W invertido) e, por fim, ligeiramente no sentido original (W).

  5. Duas demãos de tinta devem ser suficientes, no entanto, se as paredes forem muito porosas talvez seja necessário dar outra demão. Deve esperar que as paredes sequem, durante cerca de 3 horas, entre cada demão.

Dica:

  • Antes de começar a pintar as fachadas, lembre-se que para uma secagem correta, desde a preparação da superfície até à pintura, são necessário alguns dias de bom tempo. Por isso, evite pintar paredes exteriores se não tiver perspetivas de bom dia nos dias seguintes, pois a chuva, o vento, o calor e o frio podem comprometer o resultado final.

 

PASSO 7: LIMPE OS MATERIAIS

No final da pintura, é necessário voltar a colocar tudo em ordem e no lugar e cuidar das ferramentas que utilizou.

Veja alguns conselhos que pode seguir:

  • Antes da tinta secar completamente, retire a fita que colocou nas áreas que não queria pintar. Se deixar a tinta secar totalmente, ao retirar a fita, pode vir alguma tinta atrás; retire também todos os plásticos protetores que colocou para proteger dos salpicos de tinta.

  • Caso tenha caído alguma tinta em madeira, mosaico ou vidro e ainda esteja fresca, pode ser limpa com água ou por um diluente recomendado. Se estiver seca pode retirá-la com uma espátula;

  • Lave muito bem os acessórios com água e deixe-os secar bem antes de os guardar, caso os produtos que tenha utilizado para pintar sejam à base de água. Se forem à base de solvente, limpe os acessórios com o respetivo diluente recomendado;

  • Guarde os restos de tinta já que pode precisar de fazer pequenos retoques. Mantenha a embalagem bem fechada e em local protegido da luz solar direta e da humidade para evitar que se estrague;

  • Se aplicou alguma tinta de cor, guarde o código da cor que usou, pois pode precisar do mesmo mais tarde;

  • Nunca despeje as sobras de tinta no esgoto. Recicle ou reutilize os materiais utilizados na proteção e isolamento das diversas áreas e coloque as embalagens vazias no respetivo ecoponto;

  • A limpeza das mãos deve ser feita com água e sabão azul e branco.